MUNICÍPIO DE RIO DO PRADO E COPANOR

O esgoto é formado pela água utilizada nas atividades diárias. Tais como lavagem de louças e roupas, banho e descargas. Sabe-se  que o esgoto contém dejetos e se não receber o tratamento adequado, contamina o meio ambiente e prejudica a saúde pública. Em razão disso, o município de Rio do Prado em mais uma parceria com a COPANOR tem priorizado esse serviço, de suma importancia para a qualidade de vida da população.

Diagnostico:  

O laudo técnico da COPANOR, mostra que o Município de Rio do Prado, tem 1445 ligações, sendo 979 atendidas por coleta de esgoto Em Setembro de 2017, foram retomadas as obras de abastecimento de água e esgotamento sanitário no município. 
O sistema de esgoto sanitário apresentava pontos críticos, cuja execução no passado foi inapropriada, com erros de declividade ou vazamentos. Diante disso, foi elaborado um escopo de melhorias para as mesmas.

A estação elevatória de esgoto sanitário e estação de tratamento de esgoto precisou de ajustes. Tais como; alteração da profundidade do poço de sucção para a correção de declividade e profundidade da chegada do coletor trono, além da urbanização. A área passa por negociação fundiária, e a expectativa é que logo  que esteja concluída, iniciem-se os processos de urbanização e terraplanagem da mesma. A estimativa, é de que até Agosto de 2019, esteja tudo concluído.  
 
A preocupação do Município é muito grande, sabe-se que o contato com o esgoto agrava o risco de inúmeras doenças, como: poliomelite, hepatite A, giardíase, disenteria amebiana, diarréia por vírus, febre tifóide, febre paratifóide, diarréias e disenterias bacterianas (como a cólera), ancilostomíase (amarelão), ascaridíase (lombriga), teníase, cisticercose, filariose (elefantíase), esquistossomose, etc.

De acordo com a pesquisa “Saneamento e Saúde”, do Instituto Trata Brasil “as respostas das mães relativas a seus filhos caçulas indicam que as principais vítimas da falta de esgoto são as crianças de 1 a 6 anos, que morrem 32% mais quando não dispõem de esgoto coletado”. Ainda segundo a pesquisa, outra vítima preferencial da falta de esgoto são as grávidas, pois a falta de coleta e tratamento de esgoto aumenta 30% à chance de terem filhos nascidos mortos.

Mesmo fora dos casos extremos, que resultam em morte, as doenças relacionadas à falta de tratamento de esgoto prejudicam o desenvolvimento e a freqüência das crianças às aulas. Segundo o BNDES, no Brasil, 65% das internações hospitalares de crianças menores de 10 anos estão associadas à falta de saneamento básico. No caso dos adultos, essas doenças impactam diretamente na ausência no trabalho.

As vantagens do investimento em tratamento de esgoto para a saúde pública são visíveis. Segundo a FUNASA (Fundação Nacional de saúde), a cada R$1,00(um real) investido em saneamento, economiza – se R$ 4,00(quatro reais) em medicina curativa. O esgoto é tão importante para melhorar o Índice de desenvolvimento Humano (IDH) que o sétimo dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (uma série de metas socioeconômicas que os países da ONU se comprometeram a atingir até 2015) é reduzir pela metade o número de pessoas sem rede de esgoto.

O Município de Rio do Prado, tem trabalhado para mudar o cenário no que diz respeito ao acesso ao serviço de esgoto, o prefeito esta sempre junto com COPANOR, sempre parceiro, colocando o município sempre a disposição.
Contamos também com a compreensão de cada cidadão para nos ajudar na empreitada de proteger a saúde de toda população.

“Se eu não mudar o que faço hoje, todos os amanhãs serão iguais a ontem”.

FONTE:
Instituto Trata Brasil:
http://www.tratabrasil.org.br
Projeto Esgoto é Vida – Dossiê do Saneamento: http://www.esgotoevida.org.br
PNUD Brasil: http://www.pnud.org.br.


Prefeitura Municipal de Rio do Prado
COPANOR