Reunião da equipe da Prefeitura Municipal de Rio do Prado e IMA.
Descrição

Aos 20 dias do mês de Junho de 2018, reunião na Prefeitura Municipal de Rio do Prado que fica localizado a Rua Severiano Fonseca, 43, Centro na sala do Setor de Convênios o Secretario Municipal de Infraestrutura Albertino, Secretario Municipal de Meio Ambiente e Agricultura Adilson, Engenheiro do Município Álvaro Kaíque, Veterinário do IMA Humberto Antunes de Almeida e a Responsável pelo Setor de Convênios Luciene com o objetivo de trabalhar o pré projeto do Matadouro para o Município, a discussão foi iniciada pelo Engenheiro Álvaro colocando para o veterinário a necessidade de construirmos o matadouro, da necessidade de obedecermos uma serie de problemas dentre muitos o Termo de Ajustamento de Conduta assinado desde 2013 com o Ministério Publico, a ocasião foi lembrada por Humberto em que ele visitou o Município e elaborou um Laudo de fechamento do atual matadouro, por solicitação do Ministério Publico. O engenheiro Álvaro apresentou ao Sr. Humberto, o pré-projeto elaborado conforme as necessidades do município, e salientou que é de extremo interesse do município em contar com o auxilio da IMA para o desenvolvimento do projeto final. O mesmo ainda solicitou ao Sr. Humberto, as normas pertinentes ao assunto no que diz respeito ao dimensionamento e operação do matadouro. Após diversos questionamentos e respostas, foi levantada a preocupação por parte do Secretário Adilson em buscar alternativas para auxiliar no desenvolvimento da elaboração do projeto o mesmo sugeriu que fossem realizadas visitas em empreendimentos que já estejam em funcionamento, além disso, observou-se a necessidade de buscar acessórias tanto na questão ambiental quanto nas questões relacionadas a equipamentos e procedimentos  a serem utilizados no empreendimento proposto. Com relação aos recursos disponíveis, foi de comum acordo que o valor da emenda empenhada, aproximadamente 270mil reais, seria suficiente apenas para a primeira etapa do projeto, que consistirá nas obras civis, sendo que paras as demais etapas, fase ambiental, equipamentos e operação, o município deverá viabilizar novos recursos.
Conversa longa e minimamente detalhada pelo Engenheiro e pelo Veterinário, observações diversas desde o local/ terreno, impactos ambientais, inspeções sanitárias, quantidade de animal a ser abatido, transporte da carne, quantos dias terá funcionamento do abatedouro, tamanho do curral, pensar na refrigeração da carne, na unidade de abate, unidade de desossa, etc.  
Foi discutido também sobre a regulamentação e inspeção municipal e o funcionamento da Vigilância Sanitária.  Ainda discutimos sobre o custo operacional diário, na inspeção municipal, Lei que regulamenta o abate uma vez que precisam dado andamento juntamente com a construção do matadouro.
Após encerradas as discursões, a equipe se dirigiu ao terreno proposto pelo município para a instalação do matadouro, in loco, foram discutidos sobre a viabilidade da instalação, aspectos relacionados ao meio ambiente, infraestrutura e localização. O local indicado, a principio, foi considerado apto para a construção. 

Por fim concluímos a reunião que será assinada por todos os presentes.